Setor de serviços cresce na zona do euro; preços aceleram

O setor de serviços da zona do euro teve o maior crescimento desde agosto de 2007 em fevereiro, apesar das crescentes pressões inflacionárias e do mercado de trabalho em recuperação, mostraram pesquisas nesta quinta-feira.

O índice do setor de serviços subiu de 55,9 para 56,8 em fevereiro, revisado ligeiramente após leitura preliminar de 57,2, mas ainda é o melhor resultado desde que a zona do euro saiu da recessão. Fevereiro marcou o 18º mês em que o índice ficou acima de 50, ponto que divide crescimento de contração.

Embora tenha mostrado sinais de melhora em economias mais fracas, como Espanha e Irlanda, a pesquisa deu mais evidência de que a disparada nos preços de energia e commodities está começando a afetar os consumidores.

Os preços cobrados em empresas de serviços da zona do euro subiram apenas pela segunda vez em 28 meses, com o componente da pesquisa subindo de 49,8 para 52,8. Os preços de insumos atingiram o maior nível desde setembro de 2008. Mesmo assim, o Markit relatou poucos sinais de efeitos secundários de inflação na forma de aumento de salários, em parte devido à situação do mercado de trabalho.

As pesquisas de países individuais mostraram o crescimento do setor de serviços da Alemanha em níveis muito elevados, embora a expansão tenha sido ligeiramente menor que em janeiro. Na Espanha, o setor de serviços cresceu pela primeira vez em seis meses. O índice composto do setor manufatureiro e de serviços da zona do euro subiu de 57,0 para 58,2 em fevereiro, a melhor leitura desde julho de 2006.

Dados finais compilados pelo Markit mostrou que o índice de serviços alemão caiu de 60,3 para 58,6 em fevereiro, abaixo da estimativa inicial de 59,5. As empresas do setor de serviços da França relataram uma

aceleração ainda maior do crescimento em fevereiro. O índice de expansão atingiu o maior nível desde agosto, subindo de 57,8 para 59,7. Na Espanha, o setor de serviços cresceu pela primeira vez em seis meses

Deixe uma resposta